• Aline Mesquita

Responsabilidades para alunas e professoras de dança do ventre

Atualizado: Ago 12



No post de hoje eu queria falar sobre uma coisa muito importante: a responsabilidade. É sobre a minha responsabilidade como professora e, falo aqui como professora de dança do ventre e danças orientais árabes, mas acho que vale para todas as danças; porém gostaria de pontuar também sobre a responsabilidade das alunas(os) de dança, portanto, uma responsabilidade compartilhada entre professoras e alunas. Para falar desse assunto eu gostaria de começar citando um vídeo que fiz há algum tempo com o intuito de ajudar as pessoas que pretendem começar a fazer aulas de dança do ventre a não caírem em uma roubada. Você pode assistir o vídeo abaixo:


Nesse vídeo eu dou algumas dicas básicas sobre cuidados que as pessoas devem ter na hora de escolher uma profissional para ser a sua guia em sua trajetória na dança, a sua professora de dança. E a dica mais básica é: pesquisar!


No vídeo eu faço até uma analogia dizendo que escolher uma professora para começar a fazer aulas de dança é como comprar alguma coisa pela internet. Quando você quer comprar alguma coisa pela internet, você não entra em qualquer site e sai comprando. Você pesquisa, dá uma boa olhada nas opções, procura por selos de confiabilidade, formas de pagamento seguras com alguma garantia; você olha a reputação do vendedor pra ver se ele é bem avaliado, se ele entrega um bom produto e se os clientes estão satisfeitos. Ou seja, você faz tudo que estiver ao seu alcance para ter a melhor experiência possível e não ser prejudicada por um possível produto ruim ou um mau vendedor. A ideia é que você faça esse mesmo processo para as suas aulas de dança do ventre. Parece difícil e trabalhoso, especialmente para quem ainda não conhece nada e está querendo começar nesse mundo da dança; mas é preciso estarmos atentas, pois infelizmente há pessoas sem capacitação que estão no mercado, eventualmente sendo até mais valorizadas do que as boas profissionais, mas ensinando coisas erradas e ainda colocando a saúde das pessoas em risco. Eu falo isso por experiência própria porque já cansei de pegar alunas que vieram de outras escolas de dança do ventre e eu tive que corrigir tudo que elas tinham aprendido errado.


Esse é um importante alerta, pois afinal você vai pagar para alguém te ensinar a dançar. A rigor, você vai pagar para alguém mexer com o seu corpo. Então é muito importante que essa pessoa esteja apta para exercer essa função. E não se trata apenas do domínio da técnica de dança do ventre; tem bailarinas muito boas que não estão aptas a ensinar, assim como tem professoras muito boas que não são excelentes bailarinas de dança do ventre. A professora precisa, sim, ter um profundo conhecimento sobre a dança e saber transmitir esse conhecimento. A professora precisa também ter um amplo conhecimento sobre o corpo e o seu funcionamento e, precisa ter a sensibilidade de entender que cada aluna é diferente e tem um corpo diferente que vai estar sob os seus cuidados. É importante que ela tenha a capacidade de lidar com os diferentes graus de facilidade ou dificuldade de cada aluna, bem como o cuidado com a integridade física dessas alunas. Enfim, para ser professora de dança, é preciso ter alguma formação na área, ter muito estudo e muita dedicação.


No título do post e no primeiro parágrafo eu fiz questão de deixar claro que esse era um post sobre responsabilidade; essa responsabilidade, contudo, deve ser compartilhada entre professora e alunas. Falei aqui das responsabilidades da professora de dança com a aluna e alertei para os cuidados que as alunas devem ter ao procurar por uma professora de dança. Essa é uma responsabilidade compartilhada. Mas vamos adiante! Não é incomum aparecerem possíveis candidatas a alunas que perguntam se eu dou certificado nas minhas aulas de dança do ventre. Pois bem, eu não costumo trabalhar com certificado; mas qual o interesse de uma futura aluna que nem começou as suas aulas de dança em obter esse papel? Sim, porque para a sua técnica e sua expressão na dança, o certificado é apenas um papel e o papel não liga se você aprendeu ou não; eu ligo. Honestamente, num primeiro momento esse papel só vai ter utilidade se você precisa de créditos complementares na faculdade ou no trabalho. Mas a verdade é que o certificado é uma espécie de prova social, que confirma que você concluiu uma etapa. E qual o problema disso? O problema é que tem alunas que estão mais interessadas nessa prova social do que em adquirir conhecimento e aprender a dançar. Tem aluna querendo colocar a carroça na frente dos bois e pensando em se tornar professora antes mesmo de ser aluna. É sério! Então aqui fica mais um alerta para a responsabilidade: se você, aluna, quer apressar o seu processo e/ou pular etapas de aprendizado, eu sugiro que você pare e repense o seu caminho na dança e suas motivações; e se você, professora de dança, se deparar com esse tipo de situação, não tenha medo de dizer a verdade para não perder a aluna, pois oferecer qualquer tipo de validação para uma pessoa que não está comprometida em aprender é um equívoco que pode resultar no surgimento dos maus profissionais que citei antes.


E para encerrar, eu quero falar também de responsabilidade em atitudes durante o atual período de isolamento social. Desde março deste ano estamos vivendo à distância, devido à pandemia de covid-19. Essa situação e esse contexto nos exigem muita responsabilidade. Tivemos que substituir nossas salas de aula de dança por aulas on-line nos espaços de nossas casas. Muita gente me perguntou sobre a volta das aulas presenciais. Eu fiz até um vídeo explicando porque, por enquanto, eu não voltaria com as aulas de dança do ventre presenciais:


Eu posso dizer que perdi ou deixei de ganhar alunas por não abrir mão da minha responsabilidade de manter as aulas de dança do ventre somente on-line e essas alunas eventualmente encontraram pessoas que aceitaram oferecer aulas presenciais de forma irresponsável. Meu conselho aqui é: desconfiem de pessoas assim. Seja aluna ou professora, se nesse contexto de pandemia a pessoa abre mão da segurança e age dessa forma, às vezes até clandestina (porque é proibida por decreto municipal), essa pessoa não está preocupada com o seu bem-estar e muito menos das pessoas ao redor. Sejamos responsáveis, afinal, professoras e alunas!




E é isso, pessoal! Se você leu até aqui, muito obrigada! Espero que você tenha gostado desse post, dos alertas e das dicas. Se gostou, se identificou com alguma situação, compartilha o post para ajudar as colegas a se orientarem e não caírem em ciladas. Sinta-se à vontade para comentar o que você achou do post.

Se tiver interesse em começar as aulas de dança do ventre, com uma profissional qualificada e responsável, acesse a página Aulas do site, ou entre em contato para saber à respeito das turmas, horários e valores.

E não deixe de acompanhar meus posts aqui e nas minhas redes sociais!

80 visualizações