• Aline Mesquita

8 Danças que você precisa conhecer


O mundo das danças orientais é vasto. Para você se tornar uma bailarina de danças árabes completa, não basta apenas dominar a técnica da dança do ventre, é necessário mergulhar na cultura dos países do oriente-médio e explorar a riqueza cultural presente na sabedoria popular da região. Nesse post, reuni uma lista de 8 danças, entre danças orientais tradicionais e modernas com acessórios e também danças folclóricas, com uma breve explicação e exemplos para ilustrar. Aliás, se você se interessa pelo folclore árabe e, especialmente o egípcio, eu recomendo fortemente que você leia o post que fiz sobre Mahmoud Reda, onde conto com alguns detalhes a trajetória desse grande mestre. Vamos à nossa lista:


Dança da Bengala

As bailarinas costumam apresentar-se utilizando um bastão ou uma bengala; é uma adaptação de uma dança marcial masculina originária de Said (região do Alto Egito) chamada Tahtib. As bailarinas apresentam-se ao som do ritmo Said que é bastante alegre e demonstram toda sua destreza ao manusear o acessório. Existem outras danças além da dança folclórica Said que tb usam a bengala como acessório, mas aqui estou dando o exemplo da Dança Saidi que pode ser dançada tanto com o bastao como com a bengala.


Dança do Candelabro

A dança do candelabro (raks el shamadan) é uma dança antiga que fazia parte das celebrações egípcias, como casamentos. É uma dança que serve para celebrar a vida e a união entre as pessoas. Assim, é comum que uma bailarina entre à frente dos noivos, dançando com o candelabro. Desta maneira ela procura iluminar o caminho do casal, como uma forma de trazer felicidade para eles. Hoje em dia esse acessório também é usado em performances modernas de dança do ventre.


Dança da Espada

Existem várias lendas para a origem da dança da espada. Uma delas diz que é uma dança em homenagem à Deusa Neit, uma deusa guerreira egípcia. Ela simbolizava a destruição dos inimigos e a abertura de caminhos.


Dança do Jarro (Fallahi)

Dança folclórica, surgida entre os povos do deserto. Uma dança de reverência à água, que representa a vida. A água era escassa e por isso sagrada no Egito Antigo, e só era obtida após as cheias do Rio Nilo. As mulheres, ao encherem seus jarros com água do Nilo, celebravam a vida através de movimentos de seus corpos com o jarro.


Representação da dança do jarro

Dança com Véu

O véu na Dança do Ventre é como uma extensão da bailarina, de seus braços, proporcionando um ar de mistério, leveza e encanto A dança com véu como hoje a conhecemos, surgiu em 1940. Quando uma coreógrafa russa chamada Ivanova foi convidada para ministrar aulas para Samia Gamal. O véu popularizou-se e foi incorporado por outras bailarinas orientais, tornando-se muito apreciado nos EUA, onde aprimorou-se e ganhou novas técnicas.


Dança Khaliji

É uma dança do Golfo Pérsico. É uma dança praticada por mulheres em festas familiares. o traje típico para a dança é um vestido muito largo e longo, ricamente bordado, chamado Thobe Nashal.  A execução da dança traz uma simples marcação para os pés, que se mantém constante e presente todo o tempo.  Além dessa marcação, há movimentos de mãos, de braços, de tronco e de cabeça com destaque para os cabelos.


Dança Ghawazee

Ghawazee são um povo cigano que se instalou no Egito. Essa palavra pode ser traduzida como “invasoras de coração”, pois eram dedicadas a encantar seu público.É uma dança alegre, espontânea e muito animada. Normalmente marcada por movimentos amplos, ondulações, marcações de quadril, encaixes e desencaixes, batidas de pés, cambres e trabalhos de chão, tudo para chamar a atenção.



Dança com Snujs

Os snujs são címbalos de metal Eles podem ser tocados pela bailarina enquanto dança. Neste caso, requer grande habilidade da bailarina, que deve dançar e tocar ao mesmo tempo. No Egito o som desse instrumento era para invocar a deusa Bastet, protetora das dançarinas e das mulheres que cuidavam de crianças pequenas. Acreditava-se que a bailarina purificava o ambiente ao dançar com os snujs.


E é isso, pessoal! Se você leu e assistiu até aqui, muito obrigada! Espero que você tenha gostado desse post, dessas danças e dos vídeos de apresentações para exemplificar. Se você gostou das danças e dos vídeos, então compartilha o post para ajudar a difundir essa cultura. Sinta-se à vontade para comentar o que você achou do que viu ou leu aqui, qual dança e qual vídeo você mais gostou, ou se você conhece outras danças orientais/árabes, quais você acha que faltou e gostaria que estivesse aqui?

Se tiver interesse em começar as aulas de dança do ventre, acesse a página Aulas do site, ou entre em contato para saber à respeito das turmas, horários e valores.

E não deixe de acompanhar meus posts aqui e nas minhas redes sociais!