• Aline Mesquita

cuidados básicos na dança do ventre

Atualizado: Jul 29

O post de hoje é principalmente para aquelas alunas que estão começando suas aulas de dança do ventre; ou para quem ainda não tem uma vasta experiência e ainda não acostumou bem o seu corpo com as aulas e com a dança. Caso você não saiba, para você ter um melhor aproveitamento nas aulas é preciso ter consciência de alguns cuidados básicos, que vão fazer toda a diferença não apenas para evitar possíveis dores e lesões, mas também vão impactar positivamente na qualidade da sua dança. Assista ao vídeo abaixo e depois anote cada uma das dicas detalhadas no post:



Corrigir a postura

Talvez no início seja um pouco chato ficar lembrando toda hora de corrigir a postura, mas esse é o cuidado mais fundamental para a sua dança, portanto sempre preste atenção na sua postura! Ela é essencial para o nosso equilíbrio enquanto dançamos. Além disso, uma boa postura faz toda a diferença na estética da nossa dança. Lembre de manter o encaixe de quadril, de estar com os braços bem colocados, alongados e em molduras (para não ficar com os bracinhos curtos de Tiranossauro Rex). O peito deve permanecer aberto e os ombros para trás; procure também manter o alinhamento do queixo paralelo ao chão, sem olhar para baixo. Com esses cuidados básicos de postura nas aulas você vai praticar uma dança do ventre elegante e saudável.

Como referência, você pode assistir ao vídeo abaixo de uma aula que contém exercícios básicos para quem está iniciando:



Associar a respiração aos movimentos

Este também é um fator muito importante, pois respirar do jeito errado ou ao contrário, pode causar dor e desconforto, comprometendo o seu desempenho na aula. Sabe aquela dorzinha do lado, nas costelas, que é bem chata? Existem várias possíveis razões para ela aparecer, mas uma delas é que você pode estar respirando errado ou simplesmente parando de respirar; isso pode resultar em uma má oxigenação do diafragma, o que pode gerar uma fadiga e a consequente dor neste que é o principal músculo respiratório.


Acabamentos de mãos e pés


Não abandone as extremidades do corpo como as mãos, os pés e os dedos. Embora a dança do ventre concentre seus principais movimentos no tronco e no quadril, você não pode esquecer das extremidades porque são elas que vão dar todo o acabamento da nossa dança. A energia dos movimentos da dança do ventre não acaba nos membros, ela flui para além das pontas dos dedos, por isso é importante trabalhar também as extremidades durante as aulas para manter os movimentos mais limpos.


A importância dos pés. Foto: Ricardo Baumart

Ligação dos movimentos

No começo é muito comum parar no meio dos movimentos. É normal ter um pouco de dificuldade para encadear os passos quando estamos naquela fase mais mecânica do aprendizado; mas com a prática nas aulas, vamos naturalizando a dança do ventre no nosso corpo, conseguindo suprir essas pausas e tornar o movimento cada vez mais fluido e realiza-lo de forma constante e de um lado para o outro ou nas trocas de peso e de direções.

Não dançar de pernas abertas

Existe uma força interna que a gente deve realizar com as coxas para não deixar isso acontecer. É importante fazer esse esforço para que o movimento da nossa dança não se desmanche (lembre de não abandonar as extremidades); manter as pernas alinhadas nos dá eixo e elegância durante a prática da dança do ventre.


E é isso, pessoal! Se você leu até aqui, muito obrigada! Espero que você tenha gostado desse post e dessas dicas de cuidados básicos para melhorar a sua prática nas aulas de dança do ventre. Se gostou das dicas, compartilha o post para ajudar as colegas a ter também uma prática mais consciente e saudável. Sinta-se à vontade para comentar o que você achou, o que você tinha ou tem mais dificuldade etc.


Se tiver interesse em começar as aulas de dança do ventre, acesse a página Aulas do site, ou entre em contato para saber à respeito das turmas, horários e valores.

E não deixe de acompanhar meus posts aqui e nas minhas redes sociais!

0 visualização